quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Investimentos em Educação, Ciência e Tecnologia


A quantidade do investimento não implica, necessariamente, a qualidade do investimento.

Há um clamor por maiores verbas para a Educação e para a Pesquisa. Obviamente, isso é necessário. O Brasil investe pouco, comparado a outros países em grau de desenvolvimento semelhante ao seu, particularmente se considerarmos a justificada ambição brasileira de competir no mercado internacional de produtos industrializados, de alta tecnologia. Sem investimento em pesquisa básica e em pesquisa orientada, dificilmente seremos competitivos. A Pesquisa concretiza-se em produção e consumo.

A Pesquisa necessita, para sua concretização, de uma população  preparada para absorver a produção, de forma criteriosa e responsável, e isso implica a necessidade de uma boa educação básica.

Um equívoco frequente é pensar em educação básica apenas como preparação para a educação superior e pesquisa. Mesmo com uma educação básica deficiente, as elites encarregam-se de prover uma boa educação básica para os seus futuros sucessores. Isso acontece no modelo capitalista, como acontecia nas monarquias. Mas, com isso, o quadro de desigualdades sociais mantém-se. Tanto que, após a Revolução Francesa, um dos grandes desafios foi manter o alto nível de educação da aristocracia, mas agora universalizada para toda a população. A educação básica pública para todos é o que pode criar oportunidades de acesso para as várias classes sociais.

Resumindo, a educação básica tem objetivos sociais em duas vertentes: preparação para o consumo e oportunidade de acesso aos cargos de decisão.

- A íntegra desse relato você encontra aqui: ENSINO DE CIÊNCIAS E DESENVOLVIMENTO, p. 241.
_______________________________
Bookmark and Share

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ubiratan D'Ambrosio - Poços de Caldas, 1 de julho de 1969