sábado, 27 de outubro de 2012

BREVES PALAVRAS SOBRE A EDUCAÇÃO NA ANTIGUIDADE GREGA E ROMANA



Na antiguidade grega e romana, e isso continuou durante a Idade Média, a formação do intelectual focalizava a palavra, oral e escrita, e as coisas. A palavra “coisa” tinha sentido de tudo o que existe ou possa existir, de natureza corpórea ou incorpórea. O uso da palavra era essencial no currículo básico, denominado trivium, que consistia de Gramática [ler e escrever], Retórica [discursar] e Dialética [argumentar].

As coisas se expressavam nas quantidades de duas naturezas: discretas e contínuas.

As quantidades discretas, os números, manifestavam-se como absolutas [Aritmética] e relativas [Música].

As quantidades contínuas, corpos, se percebiam em repouso [Geometria] e em movimento [Astronomia]. O movimento, tanto no céu como na Terra, era um dos grandes temas filosóficos. O estudo dos movimentos havia sido uma das tônicas da obra de Aristóteles, rejeitada pelos intelectuais medievais cristãos.

O estudo das quantidades, discretas e contínuas, constituía o currículo adiantado, o quadrivium: Aritmética, Música, Geometria, Astronomia. Assim se formava a intelectualidade medieval nos mosteiros.

___________________________
Bookmark and Share

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ubiratan D'Ambrosio - Poços de Caldas, 1 de julho de 1969