sábado, 28 de janeiro de 2012

Priorizar História e Filosofia da Matemática da Educação



Ninguém poderá contestar que o professor de matemática deve ter conhecimento de sua disciplina. Mas a transmissão desse conhecimento por meio do ensino, no presente, depende de sua compreensão de como esse conhecimento se originou e quais as principais motivações para o seu desenvolvimento, o que se aprende do passado, e quais as razões de sua presença nos currículos escolares, o que se justifica pela visão de futuro.. Esse encadeamento é um dos principais objetivos da História e Filosofia da Matemática.

Uma primeira e enorme dificuldade é concordar sobre o que significa História, Filosofia e Matemática como áreas de conhecimento. Como se organizam as disciplinas ao longo da história é um dos temas mais difíceis quando se estuda conhecimento. Não vou me envolver com essa dificuldade.

Sugiro ao leitor um exercício muito interessante, que é ver como prestigiosos dicionários definem as palavras. A busca sobre as várias acepções de História, Filosofia e Matemática nos dicionários é um exercício interessante e significativo, da maior importância para a História Social da Matemática. Desde a antiguidade, dicionários têm sido importantes fontes para saber como o conhecimento é visto pelos contemporâneos, pelo homem comum, e não apenas no círculo restrito dos especialistas.

A ciência dos dicionários e enciclopédias é área de pesquisa muito interessante. Em todas as conceituações, os estudos de História dependem fundamentalmente do reconhecimento de fatos, de datas e de nomes e de interpretação ligados ao objeto de nosso interesse, isto é, do corpo de conhecimentos em questão. Esse reconhecimento depende de uma definição do objeto de nosso interesse. No nosso caso específico, depende do que se entende por Matemática.



__________________________________
Bookmark and Share

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ubiratan D'Ambrosio - Poços de Caldas, 1 de julho de 1969